Termina o XII Campeonato Cordeiro Paulista

CCP2Depois de 60 dias de confinamento, o XII Campeonato Cordeiro Paulista (CCP) chega ao fim. O CCP começou em 11 de setembro com a chegada dos cordeiros no HV da FMVA – UNESP/Araçatuba. Superando as edições anteriores, este ano foram 40 lotes de 34 produtores (30 de São Paulo, dois do Paraná e dois de Mato Grosso do Sul), somando 160 cabeças.

“A ASPACO vem constantemente tomando iniciativas e procurando alternativas para colaborar com o desenvolvimento da ovinocultura paulista e brasileira. Entre as ações desenvolvidas pela ASPACO, estão aquelas que buscam incentivar a produção comercial de carne ovina, o principal produto da atividade no país. O CCP é o maior exemplo delas”, afirma o diretor técnico da associação, o zootecnista Márcio Oliveira.

O CCP é dividido em duas etapas. A 1ª etapa do campeonato, que é a prova de ganho de peso, considerou o período de 19 de setembro a 10 de novembro, 52 dias de confinamento após 8 dias de adaptação dos animais ao ambiente e à dieta. O Campeão desta etapa foi Mário Kameoka, com o lote 28 que atingiu a média de 426 g/dia. O cordeiro que mais ganhou peso foi o de identificação 145 do lote 37, do criador Wilson Garcia, com 481 g/dia.

“Vale salientar que a importância da 1ª etapa é alertar os participantes para a característica de ganho de peso do desmame ao abate, lembrando que quanto maior o ponderal, menor o tempo determinação, que está diretamente relacionado com o menor custo no processo de engorda”, disse o zootecnista. É interessante ressaltar que ambos os criadores trabalham com a produção do Suffolk, o que aponta uma vantagem da raça na produção de carne.

Após a última pesagem para o fechamento da 1ª etapa, os animais embarcaram para a cidade de São Manuel, sede da ASPACO, onde ficaram em jejum até o dia seguinte, quando foram abatidos no Frigorífico Dom Pig. Ainda, antes do abate, os cordeiros foram pesados com o objetivo de se calcular o rendimento de carcaça (peso da carcaça fria x 100 dividido pelo peso vivo em jejum).

O rendimento de carcaça médio geral foi de 50,43%. Trata-se o rendimento de um importante índice, diretamente relacionado com o ganho do produtor. Iniciando-se, então, a 2ª etapa do campeonato, calcula-se o rendimento médio do conjunto do qual foi descartada uma das carcaças pelo critério de uniformidade ou harmonia. O melhor rendimento foi verificado na carcaça de identificação 102 do lote 26 do criador João Alberto Mantovanini. O conjunto que apresentou o melhor rendimento médio (53,76%) foi o 31, com 97,3 pontos, pertencente à Bruno Garcia Moreira, criador de Suffolk e presidente da ABCOS.

O julgamento das carcaças visando a pontuação para conformação, acabamento e harmonia foi realizada pelo Zootecnista Dr. Rafael Silvio Bonilha Pinheiro, professor da FEIS/UNESP – Ilha Solteira, e por Sidney Corá, criador de ovinos e proprietário da Agnus Bonus. Apenas dois conjuntos receberam a nota máxima neste item: o conjunto Campeão desta etapa, 18, de Francisco M. N. Fernandes, e o 3° Melhor, ou seja, o conjunto 19 de Renato Mantovani.

As melhores carcaças quanto à conformação, “excelente” (E), foram as de identificação 98 e 99 do conjunto 25 de Hélio Jeová – Faz. Monjolão, classificado como 2° colocado na etapa final. O conjunto Campeão da 2ª etapa, 18 de Francisco Fernandes, apresentou as 3 carcaças com classificação “muito boa” (U) e a 3ª colocada, 19 de Renato Mantovani, como “boa” (R).

A classificação geral, somando-se os resultados das duas etapas define o Campeão do CCP, atribuindo-se índice 100 aos melhores de cada etapa. Dessa forma, defini-se o Campeão do XII CCP, Wilson Garcia, com a nota 189,1; o Vice-Campeão, Hélio Jeová de Souza, com a nota 182,3 e ao Terceiro Melhor, Mario Kameoka, com a nota 177,9. A classificação completa pode ser acessada aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>