Criador do mês – Roberto Luis Frumi

Um executivo ligado aos campos de manejo. Talvez possamos definir assim Roberto Luis Frumi, criador de Suffolk e proprietário da Cabanha Frutoal, em Charrua (RS). Executivo do Sicredi, Frumi acredita que a ovinocultura tem muito a crescer no mercado de carnes, principalmente com a ajuda do Suffolk. Conheça um pouco mais sobre ele!

Perfil
Nome: Roberto Luís Frumi
Idade: 40 anos
Local de nascimento: Tapejara (RS)
Local onde vive: Charrua (RS)
Formação: Administrador

Quais raças cria?
Suffolk.

Quais são as principais características que você destaca no Suffolk?
Precocidade, rusticidade, fácil adaptação, carne de sabor inigualável, baixo teor de gordura e excelente rendimento de carcaça.

Na sua opinião, quais raças formam o melhor cruzamento com o Suffolk?
Quando o objetivo é produzir carne de qualidade superior, o Suffolk vai muito bem com Ile de France e Texel, bem como é capaz de melhorar o rendimento com qualquer raça, com excelentes resultados na melhoria de genética e produtividade em rebanhos gerais.

Quais as perspectivas para o Suffolk nos próximos anos?
As melhores. Temos uma oportunidade imensa no mercado nacional para a carne ovina que está cada vez mais no gosto do brasileiro e, nesse contexto, a opção pelo Suffolk é indiscutível.

O que pode ser aprimorado no desenvolvimento do Suffolk?
Precisamos avançar cada vez mais para consolidarmos um Suffolk brasileiro, alinhado as demandas do mercado de carne superior. De igual importância o fortalecimento e organização de toda a cadeia produtiva de carne ovina no País.

Qual importância das feiras e seus julgamentos para o Suffolk?
Como direcionadores de padrão de raça e biotipo convergentes as expectativas do mercado.

O que a ABCOS pode fazer para contribuir ainda mais para o fortalecimento do Suffolk?
Como entidade representativa promover a integração dos criadores, zelando pelo interesse do setor produtivo e melhorando a divulgação da raça no País.

Como você vê a atual situação da ovinocultura no Brasil?
Um “mar de oportunidades”.

O que é preciso para que a carne de cordeiro ganhe uma fatia maior no mercado de carnes?
Desenvolvimento de uma cadeia produtiva integrada, garantido que qualidade superior dos cordeiros produzidos cheguem até o consumidor final, que vão desde certificados, controle de qualidade e orientação de preparo de pratos. Atuação forte das entidades representativas e maior amplitude de políticas de incentivo à atividade haja visto sua capacidade de agregação de renda as propriedades.

O que você gostaria de acrescentar?
Parabenizar a todos que vêm, apesar do desinteresse total de governos e outros agentes ao longo dos anos, investindo e transformando a ovinocultura no Brasil, provando que é uma atividade que pode gerar excelente rentabilidade, ampliando ainda mais a importância do agro no País.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>