Artigo: sensação de dever cumprido

nacionalcapaEu fui eleito presidente da ABCOS no dia 29 de agosto de 2012, na Assembleia Geral Ordinária (AGO) da ABCOS, em Esteio (RS), durante a Expointer. Na época, a ABCOS tinha uma série de questões para resolver e foram elencadas as prioridades:
– Definir o perfil para a Raça Suffolk Brasileira que garanta a evolução zootécnica e proporcione segurança aos investidores da Raça;
– Implantar um sistema de julgamento para feiras e exposições em todo o País, por meio de um colegiado de jurados da Raça, que serão preparados pela ABCOS para realizar os julgamentos de acordo com o padrão da Raça estabelecido;
– Difundir e fomentar a Raça em todos os Estados do Brasil;
– Participar efetivamente de feiras e exposições em todo o País, onde a Raça estiver presente;
– Incentivar a produção de cordeiros utilizando o Suffolk;
– Reformular o site da ABCOS com o objetivo de divulgar a Raça e facilitar o acesso de associados e interessados em geral.

Não exatamente nessa ordem, uma vez que algumas tarefas tinham um grau de complexidade maior, cada um desses itens foi efetivamente executado. Procurei ser um presidente agregador, que contou com o apoio dos criadores associados para que pudéssemos tornar o Suffolk uma raça cada vez mais forte dentro da ovinocultura e do agronegócio no Brasil.

Já tínhamos em mente que o Suffolk seria transformado, seria mais baixo, próximo aos animais ingleses e a primeira atitude foi reformular o logo da ABCOS e partir daí, reformulamos o site da ABCOS por duas vezes, deixando-o sempre mais moderno e trilhamos um caminho de divulgação e fomento do Suffolk, com forte presença na Internet e na mídia, colocando a raça nos principais meios de divulgação.

Com a participação dos associados da ABCOS definimos o novo biotipo do Suffolk no Brasil e realizamos o primeiro curso de atualização de jurados da raça Suffolk, que resultou em um colegiado de jurados que, atualmente, detém os principais conceitos da Suffolk no Brasil, que independente de qualquer divergência, tem como principal aptidão a produção de carne de cordeiro de qualidade.

Tenho a pretensão de dizer que a definição das características do novo Suffolk brasileiro é um divisor de águas para a raça no Brasil. Os nossos associados e os criadores de Suffolk no Brasil tem um caminho bem definido a seguir. O Suffolk vem despertando o interesse por onde passa e isso é resultado do empenho dos criadores que não tem medido esforços em prol da raça no Brasil.

Prova disso é o Campeonato Cordeiro Paulista, que tem mostrado a hegemonia do Suffolk no ganho de peso e aproveitamento de carcaça. Portanto, eu não tenho dúvidas da qualidade do Suffolk como reprodutor e produtor de uma carne de cordeiro cada vez melhor para o consumidor e cada vez mais rentável para o criador. Ou seja, como tenho dito há alguns anos: quem deseja produzir carne de cordeiro de qualidade precisa estar atento ao Suffolk.

Particularmente, estreitei as amizades com os criadores, conquistei novos amigos e deixo a presidência com a sensação de dever cumprido. Os desafios foram sendo superados com esmero e apoio dos associados, com um único objetivo de fortalecer o Suffolk, que é o nosso negócio e o nosso prazer. Desejo toda a sorte ao amigo Vinício, o novo presidente, que terá o meu auxílio sempre que desejar.

Por fim, quero agradecer todos associados, criadores, cabanheiros, parceiros, prestadores de serviços, enfim todos aqueles que de alguma forma fizeram parte da minha gestão. Obrigado e estarei sempre por perto! Forte abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>