União da Cordesur e da Oviso cria a maior cooperativa de ovinos da Europa

espanha

A venda conjunta, cooperada, parece ser a forma mais inteligente dos criadores espanhóis competir com os países importantes no setor de ovinos, como França e Inglaterra. A união das cooperativas, Cordesur, de Andalucía e Oviso, de Extremadura é um dos caminhos para conseguir oferecer o melhor produto pelo melhor preço.

“Essa é a meta que podemos alcançar depois de muitos anos de trabalho. Levamos muitos anos tentando chegar a isso”, disse o presidente da Cordesur (Corderos del Sur), Eteban Romero, ao portal espanhol ABC. “Quando cheguei na Cordesur, há 22 anos, já se falava nessa união”, disse o gerente da Cordesur, Rafael Crespo, ao mesmo site.

A entidade resultante dessas duas organizações, que por sua vez, é a fusão de várias cooperativas de primeiro grau de ambas as comunidades autônomas espanholas, é um grupo que vai somar um total de 2.800 criadores em ambos os territórios.

Isso dará um volume de 850.000 cordeiros anuais para comercialização, algo que não parece muito irreal quando se observam os dados da Cordesur no último ano, que chegou a totalizar 335.000 cabeças. Essa cooperativa tem volumes menores que a Oviso, que é uma das cooperativas com maior potencial do setor.

Desse modo, tampouco surpreende que o grupo resultante possa chegar a 75 milhões de Euros (R$ 200 milhões) anuais de negócio, já que em 2012, a Cordesur já alcançava os 25 milhões de Euros (R$ 70 milhões). “Vamos aglutinar entre 10 e 20% da oferta de ovino espanhola. Além disso, vamos fazer isso de uma forma estruturada e com pecuaristas profissionais, de forma que podemos estar muito próximos de 20% da oferta nacional”, disse Crespo.

“Temos que conseguir que parte dos pecuaristas das comunidades autônomas, que não estão dentro do grupo, passem a aderir a ele. Esse novo grupo será uma referência nacional para os que não estão associados a nenhuma cooperativa”, disse Romero.

A nova sociedade outorga às duas cooperativas uma posição de poder para negociar preços, com uma média anual de 70 Euros (R$ 200) por cordeiro, e conquistar novos mercados. “Essa união nos permitirá conseguir coisas que antes não podíamos fazer, porque não tínhamos dimensão. Por exemplo, agora podemos enviar cordeiros ao mercado africano. Antes, somente podíamos entrar com uma carga, mas nunca enviar uma navegação e mandar um volume considerável”, disse o gerente da Cordesur, que garante que essa fusão reforça a posição que já tomou com a entrada na Ovispain, que até agora era a maior cooperativa comercializadora de ovinos da Espanha.

“Essa operação nos permitirá avançar. O objetivo é agregar valor aos nossos associados. A nossa gama de cordeiros, a experiência, a presença que vamos conseguir e a influência do volume de animais contribuirão com o aumento da rentabilidade dos nossos pecuaristas”, concluiu Rafael Crespo, gerente da Cordesur.

Com informações do portal espanhol ABC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>