Marfrig deve fechar unidade frigorífica de Alegrete (RS)

reuniao-marfrig-16115Na última quinta-feira (15), na sede da Secretaria da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Sul (SEAPA), aconteceu uma reunião para discutir a situação da unidade do frigorífico Marfrig, em Alegrete (RS), que possui 640 funcionários e deve suspender as atividades em fevereiro. O secretário Ernani Polo, junto com o secretário do trabalho, Miki Breier, receberam o diretor para da região sul da Marfrig, Rui Mendonça. A reunião contou com a presença de representantes de outras entidades ligadas direta e indiretamente ao frigorífico.

Mendonça reafirmou a decisão da empresa tomada ainda em setembro do ano passado pela interrupção das atividades, e, segundo ele, somente foram mantidas as atividades até o momento em função da safra que acontece nos meses de setembro a dezembro. Segundo o diretor, um dos motivos para o fechamento é a falta de matéria prima, o que estaria inviabilizando os trabalhos, provocando uma ociosidade nas unidades do grupo que atua em outras três plantas, com um total de aproximadamente 4 mil funcionários diretos.

Tratativas para a manutenção da empresa já haviam sendo realizadas desde o governo anterior, mas sem sucesso efetivo. O diretor elencou necessidades urgentes para fomentar a atividade do setor, como a abertura de novos mercados por meio de processo de identificação de origem do rebanho e a criação de nichos especiais para valorizar a carne gaúcha.

Foi levantada na reunião a possibilidade de que outro operador possa utilizar a unidade da Marfrig de Alegrete para manter os serviços, desta forma preservando a produtividade e os empregos. Esta proposta será levada a direção nacional da empresa por Rui Mendonça e ao governador, José Ivo Sartori, pelos secretários.

Além disso, por meio de considerações das entidades presentes, foi solicitada uma revisão do posicionamento da empresa de um fechamento imediato dos trabalhos na unidade de Alegrete. Os secretários Ernani Polo e Miki Breier colocaram-se a disposição para continuar com as tratativas e a empresa também se colocou a disposição para realocar funcionários em outras unidades do grupo no Rio Grande do Sul.

Fechamento
A decisão da Marfrig deve impactar o setor da pecuária de corte gaúcha, isso porque o fechamento será a partir de 4 de fevereiro, mas o anúncio veio na última terça-feira (13). A assessoria de comunicação do grupo Marfrig, sediada em São Paulo, divulgou uma nota onde informa que passará a concentrar as suas operações no Estado, utilizando as plantas de Bagé, São Gabriel e Pampeano. A decisão já havia sido tomada no mês de setembro passado, sendo postergada até agora em função da expectativa de melhoria das condições de mercado.

Com informações do jornal Folha do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>