Governo do Rio Grande do Sul anuncia novas medidas de apoio à ovinocultura

 

suffolk12Depois de consolidar o Programa Mais Ovinos no Campo, lançado na 27ª edição da Feovelha, em janeiro de 2011, a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio assinou novos convênios e anunciou novas medidas, que fortalecerão, ainda mais os ovinocultores.

O secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, assinou com o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco), Paulo Schwaab, convênio para transferência de R$ 200 mil que serão empregados pela entidade para aquisição de um aparelho de micronagem, que mede a textura da lã.

O procedimento, que hoje só é feito no Uruguai ao custo de U$ 1 por amostra, define a qualidade da lã, possibilitando a valorização do produto no mercado e fornece informações ao produtor sobre a necessidade de melhoramento genético do rebanho.

Com o presidente do Sistema Farsul, Carlos Sperotto, representando o projeto Juntos para Competir, também integrado por Sebrae e Senar, Mainardi assinou um acordo de resultados que prevê o repasse de R$ 476 mil ao programa de qualificação técnica e gerencial de 800 ovinocultores gaúchos, que terá um custo total de cerca de R$ 1,5 milhão.

Com a Embrapa Pecuária Sul foi firmado convênio que possibilita a participação da Secretaria da Agricultura no Projeto Booroola, que busca a identificação do gen responsável pelo aumento da prolificidade das ovelhas, permitindo o nascimento de dois ou mais cordeiros por gestação.

Em seu discurso, na abertura da feira, Mainardi anunciou, ainda, que o Governo do Estado, por meio do Banrisul, aumentou em cerca de 54% o valor do recurso para a retenção de matrizes no Programa Mais Ovinos no Campo. “Saímos de R$ 130 para R$ 200 visando a estimular a diminuição do abate de fêmeas e aumentar o rebanho ovino, que já registrou um crescimento de cerca de 7% nos últimos dois anos. Isso nos aproxima de um rebanho com quatro milhões de cabeças” disse.

O programa, até o final do ano passado, financiou mais de R$ 46 milhões para aproximadamente dois mil produtores, possibilitando a retenção de 189 mil matrizes e a aquisição de 99 mil fêmeas e reprodutores. A meta, agora, é chegar aos cinco milhões de ovelhas no Estado em 2013.

Na opinião de Mainardi, a ovinocultura, que passa por um bom momento, tem muito espaço para crescer. “Precisamos continuar investindo no aumento da produtividade, na qualificação dos produtores, na sanidade e no manejo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>