Criador do mês – Tiago André Szortyka

Nascido e criado em Dom Feliciano, no interior do Rio Grande do Sul, o criador de Suffolk Tiago Szortyka é vereador em sua cidade e um dos mais jovens entusiastas da raça. O criador projeta a ovinocultura e o Suffolk em como um mercado em expansão, mas que precisa organizar a cadeia produtiva. Confira a entrevista!

Nome: Tiago André Szortyka
Idade: 29 anos
Local de nascimento: Dom Feliciano (RS)
Local onde vive: Dom Feliciano (RS)
Formação: Administração / Processos Gerenciais

Quais raças cria?
Suffolk.

Quais são as principais características que você destaca no Suffolk?
Destaco a precocidade, fertilidade, rusticidade, ótimo acabamento de carcaça e um excelente sabor da carne.

Na sua opinião, quais raças formam o melhor cruzamento com o Suffolk?
Em se tratando de buscar o mercado da carne, o Suffolk torna-se ferramenta indispensável na produção de cordeiros e de carne de excelência. Imprime para seus descendentes suas caraterísticas, sendo assim, agrega e cruza bem com qualquer raça.

Quais as perspectivas para o Suffolk nos próximos anos?
As perspectivas são excelentes, visto o potencial e o padrão racial do Suffolk perante o mercado da carne, porém, acredito que a ovinocultura prescisa ser melhor estruturada e organizada. O que de um modo geral possibilitaria desenvolver ainda mais a atividade e o Suffolk por consequência.

O que pode ser aprimorado no desenvolvimento do Suffolk?
Atualmente, percebemos um padrão racial muito moderno, com excelentes carcaças, animais voltados ao mercado e na produção de cordeiros de excelência, com base neste material genético, acredito que o Suffolk deve continuar este processo de evolução.

Qual importância das feiras e seus julgamentos para o Suffolk?
As feiras e exposições tem relevância na divulgação, servindo para que os iniciantes possam fazer o comparativo com outras raças, assim como outros criadores possam conhecer melhor a raça. Os julgamentos são importantes para a seleção e solidificação do melhor biotipo perante as exigencias do mercado.

O que a ABCOS pode fazer para contribuir ainda mais para o fortalecimento do Suffolk?
O Suffolk vem em uma crescente consideravel, um exemplo disto foi a Expointer 2017 e por consequência a comercialização de um modo geral. Na minha concepção, isso prova que vem sendo feito um trabalho consistente e positivo ao longo dos anos pela associação. Evidentemente que este trabalho de divulgação deve ser uma constante, para que cada vez vejamos nossos reprodutores e matrizes ocupando seu espaço nos rebanhos pelo Brasil.

Como você vê a atual situação da ovinocultura no Brasil?
Com um potencial gigante, que prescisa ser melhor explorado e organizado, pois ainda temos muitos criadores que operam na informalidade, talvez, por meio de programas e politicas que visem o fomento da atividade poderemos avançar ainda mais.

O que é preciso para que a carne de cordeiro ganhe uma fatia maior no mercado de carnes?
Produzir carne de qualidade é fundamental e o suffolk traz esta alternativa, porém por não termos uma cadeia organizada, percebemos a ausência da carne de cordeiro em muitos estabelecimentos comerciais (dependendo da região do País), o que de certa forma é um entrave na expanção e na conquista de mercado, e obviamente a divulgação dos beneficios da carne ovina é fundamental na concretização do consumidor.

O que você gostaria de acrescentar?
Parabenizar a diretoria da ABCOS pelo trabalho que vem sendo feito, percebemos que a cada ano nosso Suffolk alcança maior espaço na ovinocultura, provando que é uma excelente opção na atividade. Aqueles criadores que não conhecem ou estão iniciando na atividade, digo que procurem um criador mais próximo para que possam conhecer melhor a raça e possam constatar o grande potencial do Sufolk. Aproveitando o período, desejar um feliz e abençoado 2018 a todos! Viva o SUFFOLK!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>