Criador do mês – Hugo Procópio de Oliveira Cardin

Nascido e criado em Auriflama, no interior de São Paulo, o criador de Suffolk Hugo Procópio de Oliveira Cardin é um dos mais jovens entusiastas da raça e tem opiniões bastante interessantes sobre o futuro do Suffolk no Brasil. Leia!

Nome: Hugo Procópio de Oliveira Cardin
Idade: 33 anos
Local de nascimento: Auriflama (SP)
Local onde vive: Auriflama (SP)
Formação: Médico Veterinário

Quais raças cria?
Ovinos Suffolk e equinos Mangalarga marchador.

Quais são as principais características que você destaca no Suffolk?
Eu destaco a velocidade no ganho de peso, a conversão alimentar muito boa, que proporcionam excelente acabamento e rendimento de carcaça. De certa forma, um animal rústico, apesar de ter porte médio entre os ovinos.

Na sua opinião, quais raças formam o melhor cruzamento com o Suffolk?
Qualquer raça com o objetivo de produzir carne de cordeiro. Nós estamos observando as fêmeas Dorper e Santa Inês. Produz muito bem com o Santa Inês e outras raças lanadas também. A heterose é bem grande e a cordeirada nasce com qualidade, rapidez no ganho de peso e uma caraça muito boa.

Quais as perspectivas para o Suffolk nos próximos anos?
As perspectivas são muito boas, se nós nos voltarmos a seleção para a produção de carne a campo. Porque eu acho que o Suffolk tem que ser criado no campo. A seleção tem quer ser feita de uma maneira diferente do que a maioria dos criadores fazem hoje. Nós temos vendido para o norte e nordeste e os criadores tem gostado muito, com compras sucessíveis. O Suffolk tem se mostrado muito interessante nessas regiões e os criadores estão voltando para comprar cada vez mais nossos animais.

O que pode ser aprimorado no desenvolvimento do Suffolk?
Nós temos que produzir um carneiro rústico, que aguente andar a campo, que aguente cobrir a campo, saiba pastar e sobreviva. Eu acredito que isso falte um pouco ainda. Porém, com o trabalho de seleção, a rusticidade tem melhorado muito.

Qual importância das feiras e seus julgamentos para o Suffolk?
As feiras são importantes porque mostra um comparativo com outros criadores e permite avaliar o rebanho e o nosso trabalho. Eu não sou muito adepto as feiras e exposições porque acho que não é o melhor caminho para trabalhar o fortalecimento da raça Suffolk, porque o Suffolk é uma raça de carne e quando parte para esse lado de show acaba atrapalhando e maquiando a seleção verdadeira. Eu prefiro uma seleção mais a campo. De qualquer forma, acho importante esse excelente trabalho de marketing que a ABCOS vem fazendo e a raça vem ganhando cada vez mais mercado.

O que a ABCOS pode fazer para contribuir ainda mais para o fortalecimento do Suffolk?
A qualidade do Suffolk vem sendo evidenciada cada vez mais e os criadores estão procurando a raça,não somente pelo ganho de peso e aproveitamento de carcaça, mas pela qualidade no sabor da carne.

Como você vê a atual situação da ovinocultura no Brasil?
A ovinocultura no Brasil, apesar de não ter a cadeia produtiva completamente organizada, vem crescendo bastante. Isso a gente sente pelo comércio de reprodutores e matrizes que aumenta cada vez mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>