ABCOS repudia samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense

pandeiroA escola de samba Imperatriz Leopoldinense terá na sua apresentação de carnaval neste ano o tema “Xingu – O clamor que vem da Floresta”, que tem um samba-enredo com críticas ao agronegócio, enaltecendo os índios do Parque Indígena do Xingu e para isso, criticando duramente a produção no campo. A ABCOS reconhece a importância da população indígena e da preservação ambiental, contudo não podemos esquecer da importância do agronegócio para o Brasil.

A ABCOS é uma entidade promocional e representativa dos criadores de ovinos Suffolk, uma raça de produção de carne de qualidade, ou seja, nossas cabanhas e fazenda produzem proteína animal que vai parar na panela, na mesa do brasileiro. Essa é a missão da pecuária em qualquer lugar do mundo. A produção do campo tem uma importância fundamental para não somente para a alimentação dos brasileiros, mas também para a economia brasileira.

A balança comercial do Brasil teve o maior resultado positivo da história em 2016. Com sete produtos entre os dez mais exportados pelo país no ano passado, o campo teve participação decisiva no maior superávit registrado pela balança comercial brasileira desde o início da série histórica, em 1989. No último ano, a diferença entre as exportações e importações ficou em US$ 47,7 bilhões (o recorde anterior havia sido obtido em 2006, com US$ 46,4 bilhões).

Portanto, fica claro que o agronegócio ainda sustenta economia do Brasil, sobretudo para que a crise financeira não seja ainda mais grave. Infelizmente, a escola de samba Imperatriz Leopoldinense foi muito infeliz na escolha do samba-enredo e a ABCOS só pode repudiar com veemência, que justamente em uma das festas mais tradicionais do Brasil, o maior espetáculo da Terra, o carnaval seja o gatilho para críticas tão infundadas.

Diretoria da ABCOS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>